Juiz manda rede social entregar pessoas que comemoraram facada em Bolsonaro

Nesta ultima sexta-feira (21) foi determinado pelo ministro Carlos Horbach, do Tribunal Superior Eleitoral, que fosse repassado pelo Twitter os dados de 16 usuários que celebraram o ataque a facada sofrido por Jair Bolsonaro, candidato à presidência da República pelo PSL. O ataque aconteceu há duas semanas quando estava em campanha na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. Essas informações foram dadas pela Reuters.

A coligação do candidato se dirigiu até o TSE para fazer questionamento sobre a veiculação de mensagens de comemoração desse ato e assim poder identificar quem são esses autores. O parecer foi favorável, o Ministério Público Eleitoral destacou ainda que esse pedido ainda possa levar a se propor atos de crime contra a honra ou eleitorais contra os responsáveis por tais veiculações. Com isso a coligação do candidato visa identificar todos os autores dessas publicações.

Carlos Hobach disse que fica evidente que os dados, cujo provimento foi apontado são indispensáveis para a instrução do feito e necessários para a responsabilização para os proprietários dessas contas no Twitter em decisão de mérito pela procedência do pedido, na qual não terá nenhuma incoerência para ser sanada.

O Tribunal Superior Eleitoral já tinha determinado que fossem retirados os conteúdos que faziam apologia a violência a esse ataque sofrido por Jair Bolsonaro. A assessoria de comunicação do Twitter informou que o microblog não faz qualquer tipo de comentário a cerca de processos judiciais que se encontram em andamento.