‘Madastra’ de Rhuan conta como foi o último instante de vida do menino e frieza choca

Kacyla Priscyla Santiago Damasceno, de 27 anos, está no centro daquele que é considerado por muitas pessoas um dos crimes mais chocantes dos últimos tempos no Brasil. Ela e Rosana Auri da Silva Cândido confessaram o assassinato do pequeno Rhuan Maycon, de nove anos, filho de Rosana. 

O crime aconteceu em Samambaia, no Distrito Federal, no dia 31 de maio, e está repercutindo nas redes sociais. Os detalhes do crime chocante causaram revolta em muita gente.

Na delegacia onde foram presas, Priscyla contou detalhes do último instante de vida de Rhuan. O vídeo foi postado por um internauta no Facebook na semana passada e conta com mais de 14 mil curtidas, 8 mil comentários e 51 mil compartilhamentos. O trecho da entrevista de Kacyla foi visto 2,2 milhões de vezes.

Fria, Kacyla contou o que elas pretendiam fazer com a pele do menino após a morte dele. As duas são acusadas, entre outros crimes, por ocultação de cadáver. A pena total de cada uma delas pode chegar a 57 anos.

Quando dava detalhes do assassinato cruel, Kacyla foi interrompida por uma repórter que perguntou sobre a reação de Rhuan durante o ataque. “Ele só deu um pequeno grito”, disse ela, dando a entender que esse foi o último instante de vida do menino.

Rosana não tinha a guarda de Rhuan, que pertencia ao avó paterno desde 2014, e fugiu de Rio Branco, onde mora o pai da criança e as famílias maternas e paternas, passou por algumas cidades e chegou ao Distrito Federal. O corpo de Rhuan foi trasladado para a capital do Acre, onde foi velado e enterrado.